Saramago e o grunhido

Julho 30, 2009

José Saramago – que é também blogueiro, como todos sabem (caderno.josesaramago.org) – respondendo ao Globo o que pensa sobre o Twitter:

“Nem sequer é para mim uma tentação de neófito. Os tais 140 caracteres refletem algo que já conhecíamos: a tendência para o monossílabo como forma de comunicação. De degrau em degrau, vamos descendo até o grunhido.”


Sem mais.

Anúncios

“Vem na mão”

Julho 30, 2009

Cartaz1

No dia 8 de agosto, sábado, o Centro Cultural Justiça Federal inaugura a mostra Vem na Mão, reunindo diversos artistas que tem como foco a forte carga gestual em seus trabalhos, utilizando-se raramente de recursos digitais.

O tema da exposição é o ambiente urbano, marcada pela multiplicidade de linguagens e técnicas, reunindo trabalhos de 13 artistas: Alê SoutoAntonio BokelBernardo RamalhoElvis AlmeidaGustavo SperidiãoJulio CastroMarcelo EcoMárcio MitkayNueve PolarOzi, Paulo Santos, Petite Poupée 7Smael.

O público poderá conferir a exposição de 09 de agosto a 13 de setembro, das 12 às 19h. A mostra tem entrada franca e ocupará as galerias do 1º andar do prédio.

Fonte: L’Phante

Essa irá receber minha presença. Aliás o Centro Cultural Justiça Federal sempre tem umas exposições bem legais. Vale a pena uma visita de vez em quando.

O Boa noite de hoje será um pouco diferente. Ao invés de uma música, três.

O motivo é simples: visitando o blog da Renata Simões, apresentadora do canal Multishow, vi um post sobre umas bandas que ela viu em Paris. Dois sons, em especial, me chamaram a atenção.

O primeiro é o americano Jose James, nascido em Nova York. Uma mistura de rap e jazz, com muito soul e uma bela voz.

Jose James – Park Bench People

O segundo, é de uma banda japonesa chamada SOIL & PIMP Sessions. Originários de Tóquio, os caras também fazem um bom jazz, contemporâneo, com uma levada mais acelarada e funk. Bom som! Irei procurar outras músicas depois.

Soil & Pimp Sessions – Crush

Agora pra finalizar a sessão hip-hop, jazz, funk, vamos que vamos. Um vídeo da galera aí de cima junta no mesmo palco. Mistura homogênea e boa para os ouvidos.

Jose James and SOIL & PIMP Sessions – Park Bench People (Live)

O longa-metragem “Lutas”, que tem direção de Luiz Bolognesi, parece ser o primeiro grande passo da animação no país. Digo grande passo por estar sendo realizado aqui, por nós, brasileiros.

O filme narra, em quatro, episódios os momentos radicais da história do Brasil. Quem conta é o protagonista, personagem que esta vivo há quase 600 anos e que presenciou os fatos. A narrativa atravessa a história do Brasil e vai das brigas entre Tupiniquins e Tupinambás a prisões e torturas da ditadura.

Com ritmo e linguagem de quadrinhos,  tem em seu elenco os atores Selton Mello e Camila Pitanga – que emprestam suas vozes dando vida e emoção aos personagens principais.

Buriti Filmes, em parceria com a Lightstar (realizadores de A Era do Gelo, Mulan, Asterix e Fantasia 2000) e a Gullane Filmes, produzem em Paulínia o, SP, o projeto.

Tem tudo para marcar um novo passo na cinematografia nacional.

Abaixo o teaser do longa:

Ficha técnica:

Direção: Luiz Bolognesi
Roteiro: Luiz Bolognesi
Supervisão Geral: Laís Bodanzky
Produção Executiva: Renata Galvão
Direção de Animação: Marcelo de Moura e Jean de Moura
Assistente de Direção :Camilla Loyolla
Supervisão de finalização: Helena Maura

Cacilds

Julho 29, 2009

Hoje faz 15 anos que perdemos Antonio Carlos Bernardo Gomes, ou Mussum. Na opinião deste escriba Mussum foi o melhor humorista nascido no Rio de Janeiro. Foi ídolo da minha geração e, particularmente, sempre ri mais com ele do que com Didi, Dedé ou Zacarias. Não sei se alguma TV preparou a merecida homenagem, mas neste Blog não poderia passar em branco. Vale dizer que no Twitter o #mussumday chegou ao topo nos Trending Topics.

Para não ficar só nas palavras recomendo fortemente o vídeo abaixo. É um trecho do programa MPB Especial, da TV Cultura, com os Originais do Samba. Foi exibido em 1972, e recentemente reexibido no Radiola, da mesma TV Cultura. Nem todos lembram, mas muito antes de ser um trapalhão, Mumu da Mangueira foi sambista, e já destilava carisma e bom humor nas letras e entrevistas. Imperdível!

Nego só sabe que mataram o gato, como faz o tamborim é que é fogo! Genial.

“Escondido na cidade”

Julho 29, 2009

“Hide in the City” (“escondido na cidade” em português) é uma série de fotos feitas, a partir de 2006, pelo artista chinês Liu Bolin.

Liu nasceu em 1973, na província de Shandong, no leste da China. Formou-se pela Academia de Belas Artes de Shandong e começou a participar de grandes exposições aos 28 anos (entre 2000 e 2001).

Em sua série de fotos sobre o anonimato na cidade, há a mensagem de que o ser humano é um solitário, visto a infinidade de coisas que nos rodeiam.

Liu se camufla aos ambientes urbanos para produzir seus retratos. Para isso são necessárias até 10 horas de pintura corporal. O trabalho é tão bem feito que algumas pessoas só percebem sua presença quando ele se move.

As fotos são bastante interessantes e representam bem esse anonimato do ser humano nas grandes cidades, o fato de sermos apenas números e não pessoas em si. Uma crítica a sociedade feita de uma forma diferente.

Não é a toa que seu trabalho está sendo reconhecido. Ele já realizou exposições individuais na França, Itália e Estados Unidos, e suas obras já foram exibidas em algumas das principais galerias chinesas.

Eu confesso que observo diversas outras críticas em algumas de suas imagens. Mas isso vai de cada um.

Fiquem com algumas das fotos presentes na série:

liu_bolin_abre

liu_bolin_casa_escombros

liu_bolin_enforcando

liu_bolin_eua

liu_bolin_guarda

liu_bolin_olimpics

Se procurarem na rede encontram outras fotos dele. Todas muito bem produzidas.

Música do CD “Bambas e Biritas Vol. 1”, do músico Bid.

Eduardo Bidlovski é o nome dessa fera, que esteve envolvido na produção do disco “Afrociberdelia”, de Chico Science & Nação Zumbi. Outros nomes foram produzidos pelo cara, como Planet Hemp, Mundo Livre S/A, Otto. Esteve também presente no surgimento do Funk Como Le Gusta.

Esse CD, “Bambas e Biritas Vol. 1”, é muito bom. Conta com a participação de Seu Jorge, Elza Soares, Carlos Dafé, Black Alien, entre outros.

O som abaixo é com o Carlos Dafé. Instrumental funk, talvez até com “ph” (phunk), de qualidade.

Bid e Carlos Dafé – Saudades da Blackrio