Stevie KL Motta

Maio 25, 2010

No último dia 13, o músico americano Stevie Wonder completou 60 anos. Para homenager esse que foi um dos maiores da música black mundial, o site IG promoveu um encontro bem bacana entre o DJ Kl Jay, do grupo de rap Racionais Mc’s, e o cantor Ed Motta.

A mistura ficou muito boa. A voz e “swing” de Motta com as mixagens sempre perfeitas de Jay, num remake ótimo para os ouvidos.

O resultado, abaixo:

Pra quem quiser conferir a original:

Anúncios

Logorama

Maio 17, 2010

Desde a época em que fora inventado o conceito de Pop art, por Andy Warhol, a propaganda procura fazer parte da cultura e arte popular, não se limitando a refleti-la.

Um bom exemplo disso é o “Logorama”, obra vencedora do último oscar de melhor animação, que utiliza-se de logotipos de companhias famosas nos EUA para contar e expressar uma trama.

O patriotismo de Dunga

Maio 12, 2010

Ontem, a exatos um mês para o início da Copa do Mundo, vimos que o mundo (em especial o Brasil) está entrando no clima da competição. Os técnicos que ainda não haviam anunciado suas peças, assim como o nosso ˜comandante” Dunga, expuseram-nas para todos; e aí como começam as discussões que se estenderão até a estréia de cada equipe.

Hoje, no jornal O Globo, saiu na coluna do Merval Pereira, um texto bem interessante sobre o patriotismo do nosso técnico. A exaltação ao ser brasileiro, misturado com futebol e política. Vou transcrever abaixo para os que não puderam ler. Texto bem bacana, que define bem como foi a coletiva de imprensa pós-anúncio dos nomes.

A PÁTRIA DE CHUTEIRAS

O futebol no Brasil tem tanta importância que acaba se misturando com a política, explorado pelos governantes independentemente de sua inclinação esportiva. Cada vez mais jogadores de futebol são candidatos a cargos eletivos, como Romário este ano. E não é de hoje. Em 1927, o então presidente Washington Luís tentou se meter em uma partida de futebol e acabou desautorizado por Feitiço, um atacante do Santos.

Na final do Campeonato Brasileiro de seleções estaduais, entre Rio de Janeiro e São Paulo, no estádio de São Januário, um pênalti marcado contra o São Paulo, quando o jogo estava empatado em 1 a 1, provocou a ira dos paulistas, que se recusaram a continuar a jogar.

Presente ao estádio, Washington Luís ordenou que a partida fosse reiniciada, no que foi contestado por Feitiço de dentro do campo: Diga ao presidente que ele manda no país. Na seleção paulista mandamos nós. E o jogo não recomeçou.

Vários presidentes entraram em disputa com técnicos da seleção brasileira, até mesmo Fernando Henrique, que não é dos mais fanáticos torcedores.

Pois, em 2002, ele engrossou o coro dos que queriam Romário na seleção e levou uma resposta de Felipão mais ou menos no mesmo teor da de Feitiço.

Lula certamente é o presidente mais ligado ao esporte, podendo seu gosto pelo futebol ser comparado com o do general Médici, que comparecia aos estádios de radinho de pilha no ouvido, fato muito explorado pela equipe de marketing da época.

Lula também explora essa ligação do brasileiro com o futebol, mas não chega ao ponto de tentar escalar um jogador, como fez Médici com Dario, provocando uma crise na seleção de 1970, que levou à demissão do técnico João Saldanha.

Agora mesmo está fazendo uma grossa demagogia, criando a Bolsa Copa para dar pensão a jogadores campeões do mundo em 1958, 1962 e 1970.

Até agora só o grande Tostão recusou a prebenda.

Torcer por um time popular como o Corinthians, como faz Lula, é sempre bom, mas o feitiço pode virar contra o feiticeiro quando a torcida liga a proximidade do presidente com seus jogadores a fracassos nos campeonatos.

Na Copa de 2006, Lula foi fazer uma gracinha com Ronaldo, perguntando se ele estava mesmo gordo, e teve que ouvir comentários sobre seu hábito de beber. Hoje já fizeram as pazes.

E quando Lula resolveu elogiar o argentino Messi, provocou a reação do goleiro Julio Cesar, que o aconselhou a se mudar para a Argentina e ainda arrematou: Quem sabe o Brasil não melhora um pouco com a saída dele?.

O candidato tucano à Presidência, José Serra, que também é um torcedor fanático do Palmeiras, já recebeu uma dura do técnico Felipão quando fez uma crítica ao técnico, que dirigia o Palmeiras.

Felipão mandou Serra, que era ministro da Saúde na época, tomar conta da precária saúde nacional.

É sinal de amadurecimento da nossa democracia, portanto, o fato de que ser campeão do mundo não influi na escolha do presidente.

Em 98, Fernando Henrique Cardoso foi reeleito mesmo com o Brasil perdendo a Copa, e, em 2002, tendo o país se sagrado pentacampeão, o oposicionista Lula foi eleito.

Misturar política e futebol não dá bom resultado. O patriotismo é o último refúgio do canalha, definiu Samuel Johnson, escritor e pensador inglês do século XVII.

Eu me lembrei da frase ontem, ao ver a entrevista do técnico Dunga na convocação dos 23 jogadores que vão disputar a Copa do Mundo na África do Sul.

Não tenho nenhum motivo para considerar Dunga um canalha, coisa que tudo indica ele não é. Mas não digeri bem aquele discurso patrioteiro que ele e seu auxiliar Jorginho fizeram.

Fiquei com receio de que uma certa politicagem equivocada esteja tomando conta da seleção, e que os jogadores estejam levando ao pé da letra a máxima rodrigueana de que a seleção é a pátria de chuteiras.

Mas o que me chamou mais a atenção foi a exagerada dedicação de Dunga ao sofrido povo brasileiro e à exortação ao sacrifício no altar da pátria.

Ele chegou a se referir às lições de patriotismo que recebeu de sua mãe, professora de geografia e história.

Quando começou a falar de apartheid e da ditadura militar no Brasil, não sei exatamente por que, Dunga demonstrou que não é um indivíduo politizado e, portanto, ainda bem, seu apego ao patriotismo não é um escape político. É apenas um equívoco de quem mistura conceitos e tem uma visão deturpada da função de um jogador de futebol numa sociedade como a brasileira.

Achei Dunga rancoroso demais, mesmo considerando que algumas perguntas vinham com distorções descabidas como a tentativa de comparar Neymar a Pelé ou Maradona ou tivessem o objetivo explícito de provocar o técnico.

Mas mesmo quem considerou razoável a explicação oficial de falta de experiência para que Neymar e Paulo Henrique Ganso não estivessem na relação ficou sem argumento ao saber que Ganso está na lista de sete reservas enviada à Fifa.

A tão decantada coerência de Dunga não combina com essa decisão, pois potencialmente ele considera que o apoiador do Santos pode estar na seleção em caso de contusão de um jogador da relação oficial, apesar da inexperiência.

Já que é assim, não precisa de contusão.

Tudo somado, Dunga vive uma experiência única na vida de um esportista ser técnico da seleção brasileira depois de ter sido jogador campeão do mundo , mas não está tranquilo.

O técnico, que visivelmente não se dá muito bem com as críticas, deixou transparecer durante toda a entrevista que tem um sentimento de vingança guardado no peito prestes a explodir.

Se o Brasil for campeão do mundo, quase certamente veremos um Dunga exultante e raivoso, considerando-se um herói nacional, se vingando dos seus críticos com gestos e palavreados que estão sendo contidos a duras penas.” (Pereira, Merval, jornal O Globo, 12 de maio de 2010)

A arrogância de Dunga e Jorginho impressionam. É óbvio que sempre haverá discórdia (eu sou um que endosso esse grupo) e críticas. Mas fazer o que? Agora já está feito, temos que nos preparar para torcer e aguentar esse nosso meio de campo truculento e sem criatividade.

Avante Brasil!

“100 Miséria”

Maio 9, 2010

Curta bem legal e engraçado de uma amigo. Vale a pena perder alguns minutos e, em troca, dar boas risadas.

Muito boa a idéia!

Vídeo bem legal com a participação do rapper Mano Brown, do jornalista Flavio Prado, do técnico Luxemburgo e do ex-jogador (comentarista hoje em dia) Neto. Eles apresentam suas visões sobre esquemas táticos e sobre o que é o futebol para cada um.

É bom esse tipo de debate, que foge do lugar comum. Dar voz a pessoas de diferentes funções na sociedade para falar de algo que 95% da população brasileira entende.

Futebol é simples, é só enxergá-lo corretamente e ter a habilidade e inteligência necessária para encantar as torcidas por aí. Vejam o Sócrates falando do esporte bretão que vocês entenderão essa simplicidade que falo.

Torcer pra terça-feira, dia da divulgação da lista dos jogadores pra Copa do Mundo, o técnico Dunga deixar de ser ranzinza e dar espaço pra beleza, habilidade e inteligência. Paulo Henrique Ganso por favor!

Boa noite sexta-feira

Maio 7, 2010

David Guetta feat. Kid Cudi – Memories

Baby Boy feat. Yung LA – Stuntin

Birdman feat. Drake and Lil Wayne – Money to Blow